Porto de São Francisco do Sul

+55-47-3471-1200 porto@apsfs.sc.gov.br

Menu

Características Físicas

saiba mais sobre o complexo portuário de São Francisco do Sul

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS

Em termos de estrutura natural, o Porto de São Francisco do Sul tem ótimos perfis. O canal de acesso 9,3 milhas de extensão, 150 metros de largura e 13 metros de calado. Com amplitude de maré de 2 metros, a bacia de evolução é muito ampla. São 5 as áreas de fundeadouros oficiais.

Em termos de infra-estrutura instalada, o Porto de São Francisco do Sul tem cais acostável com 780 metros de comprimento e 43 pés de profundidade máxima.

Ainda fazendo parte do complexo portuário, o Terminal Babitonga, da iniciativa privada, possui um cais acostável de 225 metros de comprimento com um calado máximo de 11 metros. Um sistema de sinalização eletrônica cobre os 9,3 milhas do canal de acesso e a bacia de evolução, sendo o segundo porto brasileiro com este padrão internacional. Já o sistema de bóias e torre funciona com energia solar e tem autonomia de até 30 dias. A torre suporta ventos de até 200 km/h, garantindo precisão e segurança à navegação do Porto.

corredor

VIAS DE ACESSO

O acesso rodoviário a Joinville, maior cidade do Estado, e dali a todo o país e o MERCOSUL, faz-se através da BR 280, num percurso de 40 quilômetros totalmente pavimentado.

Composições ferroviárias entram e saem do porto através da estrada de ferro 485, que liga São Francisco do Sul à cidade de Mafra, distante 167 quilômetros.

Em Mafra se acessa a malha ferroviária que se conecta com São Paulo, a maior cidade do país, e com Porto Alegre, a maior cidade da região Sul. Também se pode acessar a rede ferroviária que corta o Paraná no sentido oeste, um dos mais importantes corredores de grãos do país.

O porto tem nas suas proximidades três aeroportos: o de Joinville, distante 60 quilômetros, e o de Navegantes, que fica a 100 quilômetros, são servidos por linhas aéreas domésticas que os interligam com os principais centros nacionais e internacionais.

A terceira opção é o Aeródromo de São Francisco do Sul, a apenas oito quilômetros do porto, que possibilita o uso de pequenas aeronaves particulares em sua pista de mil metros.

CORREDOR DE EXPORTAÇÃO

O Porto de São Francisco do Sul é reconhecido pelo dinamismo e agilidade nas operações. Em boa parte, isso se deve à parceria com grandes empresas, como a Terlogs, a Bunge e a CIDASC, que compõem o corredor de exportação instalado na zona primária do Porto.

A Terlogs opera uma área de 40 mil m2, contando com um conjunto de 13 balanças ferroviárias e rodoviárias, e capacidade total para armazenamento de 140 mil toneladas de granéis.

O complexo da Bunge tem 125 mil m2, com uma planta de extração de soja para o processamento de ate1,7 mil toneladas por dia. A capacidade de expedição chega a 1,5 mil TPH (tonelada por hora) de granéis sólidos e 1 mil TPH de óleo de soja. A capacidade de armazenagem é de 200 mil toneladas de granéis sólidos e 45 mil toneladas de óleo de soja.

Juntas, a Terlogs e a Bunge investiram cerca de US$ 20 milhões no corredor de exportação, e mais de US$ 3 milhões em dois ships loaders, que triplicaram a capacidade de carregamento.

A CIDASC (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina) opera o Terminal Graneleiro Irineu Bornhausen. A recepção é composta por 3 balanças com capacidade para até 120 vagões e 150 caminhoes por dia, e duas moegas rodo-ferroviárias, ambas com fluxo de 500 toneladas/horas. A capacidade de armazenagem é de 110 mil toneladas para granéis sólidos e 9 mil m3 para óleos vegetais.